OPERAÇÃO “DESCIDA DO ESPÍRITO SANTO EM ÁFRICA”

CAPÍTULO II – O CONTEXTO SOCIO-POLÍTICO DA DESCIDA DO ESPÍRITO SANTO EM ÁFRICA

Só é possível entender as razões mais profundas e a importância de um evento, dentro do contexto em que ocorre. Descontextualizar os actos, as lutas e aspirações de um individuo ou comunidade, obrigaga-nos a perder a legitimidade de emitir qualquer juizo de valor.

Assim, dentro das reflexões sobre a efusão do Espirito Santo em África, importa dar um olhar ao contexto mundial e africano da época, o qual legitima o lugar do “Avivamento pentecostal Africano”.

A) Geopolítica : o mundo estava a viver a ressaca dos dois grandes conflitos planetários: a I e II Guerrais mundiais. E as nações vinham experimentando prufundas mudanças, derivadass não só da Guerra mas também da desilusão do tão propalado iluminismo que prometeu ao mundo que a razão humana seria suficiente para conquistar a felicidade e o bem para a humanidade, sem a necessidade de Deus.

E a África continuava a viver o extremo da amargura da opressão colonial, das consequências da conferência de Berlim e do hediondo tráfico de escravos, onde se assistia dia após outro o cúmulo do escárnio físico e moral dos povos da África.

A) Cristianismo/Missões:

1. O aumento do movimento missionário mundial, a partir dos EUA, Reino Unido e Suiça deu-se um grande impulso na evagelização global, num momento em que o mundo católico e não só testemunhava a aparição de Maria mãe de Jesus em Fátima – Portugal, revelando três segredos à três criancinhas, um dos quais, até hoje, por se revelar.

2. A marginalização e inferiorização cultural e religiosa imposta ao povo Africano era a tónica: Se de um lado a cultura africana era barbaramente espazinhada, do outro, o seu direito a e liberdade religiosa era não só condicionada, mas também, questionada. Há quem dizia mesmo que “o africano não tem Deus”.

3. Verificou – se uma perda de foco e de zelo de muitos missionários: A história universal deixa patente que o trabalho missionário em África visou em boa medida facilitar o processo de colonização. Não obstantes, terem existido Missiões que realmente se comprometeram com a causa do evangelho. A estes vai o nosso profundo reconhecimento!

Em suma, o ambiente social e politico (que foi de domínio e opressão) que caracterizou a África no momento em que Deus fez a sua visitação a este sofrido povo, na passoa do Espirito Santo, assemelha-se a outros contextos da história do povo de Deus: 1. Israel sob o domínio do Egipto – Deus visitou-os por meio de Moises (Exo. 3:1-10); 2. Os judeus sob domínio do Império Romano na epoca do nascimento de Jesus Cristo – viviam na expectativa da vinda do Messias que os libertaria do domínio romano (Luc 24-21; Actos 1-6). Deus usa estes contextos de forma perfeitamente pedagógica (Det. 8-2): É nestas circunstâncias, que arde o desejo da trancendente Liberdade e invade a mais profunda ânsia por justiça, no âmago da vontade humana. Na busca pelo descanso e paz, encontram o amor e a graça na única fonte inesgotável – o Principe da Paz (“Vindem a mim todos que estais cansados e oprimidos e Eu vos aliviarei” Mat. 11-28).

Não deixe de acompanhar.

Próximo capitulo: A ACÇÃO RESTAURADORA DO ESPÍRITO SANTO

Até lá, Deus abençoe a todos!

Follow us:                        
%d blogueiros gostam disto: